Quem está de malas prontas para San Andrés, a ilha paradisíaca da Colômbia, já deve ter colocado na sua lista de tarefas o passeio até Johnny Cay, a ilhota mais concorrida da região, e El Acuário. Mas se você ainda está planejando conhecer o caribe colombiano, é bom ler este post para saber um pouco mais dessas atrações imperdíveis de lá.

Acompanhe o Roteiros Possíveis no Instagram @roteirospossiveis.

Antes de tudo, é bom dizer que reservamos o primeiro dia para este passeio, pois, se ocorresse algum imprevisto, teríamos a oportunidade de remarcá-lo para outra dia da viagem. Para mim, pelo o que li e pelo o que falam, esse é o passeio número um da lista de o que fazer em San Andrés, logo, é sempre bom pensar nessas questões para a viagem ficar marcada positivamente na sua memória. Para saber de outras atrações da Ilha, clique aqui.

COMPRANDO O PASSEIO

Logo que raiou o dia, saímos para aproveitar a cidade. Próximo à pousada onde nos hospedamos, havia pessoas oferecendo passeios para nós. Ficamos tentados com um que oferecia, além da ida a Johnny Cay e ao Acuário, uma parada no manguezal e para ver as mantarrayas. Na verdade, todos tem pacotes bem semelhantes. O valor cobrado foi de COP 30.000 (por pessoa), contando com o táxi que nos levaria até a píer de onde saem os barcos.

Aceitamos. Entramos no táxi e chegamos ao local indicado. Só que quando conversamos com o rapaz da agência, ele começou a questionar o valor do tal cara que nos ofereceu o passeio. Dizendo que não poderia oferecer o serviço por aquele preço. Daí dissemos que se não fosse pelo valor combinado a gente procuraria outra agência. Ele aceitou, mas tivemos que pagar a mais taxa de entrada na ilha (COP 5.000). Poderíamos encontrar um valor mais barato, mas sabendo que aí estava incluso o valor do táxi, acabou que saiu por um bom preço. O tempo também não nos permitiria caçar outra agência. Mas acho que consegues encontrar uma agência mais barata.

roteirospossiveis502.JPGDepois que demos nossos nomes e pegamos a pulseiras, fomos comprar as sapatilhas de neoprene, necessárias para o passeio, já que em Johnny cay há muito cascalho e corais que podem cortar seu pé no Acuário. Lá no píer custou COP 15.000, mas se tiver tempo de comprar no centro, vai encontrar mais barato. Na pressa, esquecemos de comprar o snorkel, e por isso pagamos mais caro depois.

JOHNNY CAY

O trajeto do píer até a Ilha de Johnny Cay dura cerca de 10 minutos. Aconselho ficar mais na frente do barco para não se molhar muito. Tem horas que o barco bate no mar com força, então, se segure firme. Mas o melhor é ver as nuanças do azul ao longo do trajeto. Deus meu, como aquele mar é lindo.

roteirospossiveis504Na chegada, o pessoal da agência leva a gente até umas mesas onde as pessoas fazem as refeições. Aliás, o almoço estava incluso no pacote, servido ao meio-dia. Na rápida conversa, a equipe explicou como era o funcionamento da ilha e marcou o horário que deveríamos retornar até aquele lugar para seguirmos para El Acuário.

Johnny Cay San AndrésA ilha é muvucada. Muita gente mesmo. Encontrar um pedaço na areia pode ser uma tarefa difícil. O mar é agitado, muita gente levando um caldo. Mas dá para banhar. Cuidado com as pedrinhas. Do outro lado da ilha está uma das partes mais bonitas da ilha. Tem algumas barreiras de corais. Na ilha em si, há um gramado bonito, onde as pessoas descansam e fazem até piquenique. Ah, aproveite para ver os camaleões e outros animais que ficam soltos por ali.

SAIBA MAIS: Conheça um pouco de Cartagena de Índias.

roteirospossiveis505.JPGNa hora do almoço, serviram arroz de coco, peixe assado, salada e patacones (banana frita). Estava bom, mas é ruim comer com talheres de plástico. Na ilha existe uma casinha com lockers, que você pode guardar seus pertences para aproveitar o passeio com mais tranquilidade. Custa COP 5.000. Mas lembre-se que eles vão embora às 16h.

EL ACUÁRIO

Às 15h, saímos em direção ao Acuário. Para quem não sabe, este é um banco de areia rodeado de barreiras de corais onde é possível ver várias espécies marinhas. Outro lugar cheio de gente. Deus do céu! O povo gritando e se misturando, já que são muitos barcos atracando e soltando seus passageiros lá. Ficamos cerca de 2 horas ali.

roteirospossiveis501Mas como mergulhar e deixar as coisas sem ninguém pegar. Bem, existe um pessoal que alugam sacolões para guardar seus pertences. Cobram COP 5.000 por sacolão. O nosso saiu de “graça”, porque tivemos que comprar os snorkel. Havia de vários preços, compramos o de COP 25.000. No centro você consegue por 17 ou 18 mil.

El Acuário San AndrésO mergulho foi ótimo, muitos peixes, água cristalina. Aconselho você se afastar um pouco da muvuca para aproveitar o espaço melhor. Na piscina formada pelos corais logo atrás das barracas fica cheia de gente e, consequentemente, mais difícil de ver os peixes, já que toda hora alguém esbarrar em você.

MANTARRAYAS E MANGLARES

Às 17h, fomos ver as mantarrayas. Não chegamos a descer do barco, somente o rapaz que nos guiava. Ele pegou as bichinhas e mostrou para quem estava no barco. Não achei isso legal. Mas há quem goste. Para finalizar o passeio, demos uma volta pelos manglares (mangues), ouvimos algumas histórias e pronto, voltamos para o píer, onde desembarcamos e seguimos para o hostel, já que o dia tinha sido bastante cansativo.

roteirospossiveis503Então, gostou das dicas. Quer saber algo mais. Deixe ai suas perguntas nos comentários. Aproveite e curta  as redes sociais do Roteiros Possíveis. É grátis e não dói nada.

Instagram: https://www.instagram.com/roteirospossiveis/
Facebook: https://www.facebook.com/roteirospossiveis/
Twitter: https://twitter.com/blogroteirospos/
Pinterest: https://br.pinterest.com/roteirospossveis/pins/

Imagens: Anderson Corrêa

Anúncios