Visitar o museu mais famoso do mundo é com certeza um banho de conhecimento sobre a humanidade, já que no Musée do Louvre, em Paris, estão algumas obras seculares e milenares que contam um pouco da história humana na terra. São mais de 35 mil obras espalhadas por uma área de 73 mil m². É muita coisa, não é? Talvez seja preciso mais de um dia para ver tudo em detalhes.

Siga o Roteiros Possíveis no Instagram @roteirospossiveis.

Mas sabemos que viajantes nem sempre têm todo esse tempo para visitar um museu. Por isso, quando for conhecer o Louvre, ou qualquer outro centro cultural tão grande como esse, é importante fazer um planejamento para que não saia de lá com aquela sensação de que esqueceu alguma coisa, de frustração. Confira, então, as dicas que preparei de para você aproveitar ao máximo seu roteiro pelo Musée du Louvre.

QUANDO VISITAR

O teu planejamento deve começar antes mesmo de pôr os pés em Paris. Sabendo os dias em que você estará na cidade, você deverá dedicar pelo menos umas 3 horas para conhecer o melhor do museu. Só não marque a visita para uma terça-feira, porque é o dia da semana em que encontrará as portas do Louvre fechadas. É nesse dia em que são feitos os ajustes dentro do museu para melhor receber os visitantes.

Também nem pense em aparecer por lá nos dias 1º de janeiro, 15 de agosto, 1º de maio e 25 de dezembro. Fora essas datas, o Louvre e todas suas obras estarão de braços abertos para receber-te. Quer dizer, a Vênus de Milo não. Por questões óbvias, se é que me entendes. O museu fica aberto das 9h às 18h. A evacuação começa às 17h30.

Mas existe também a possibilidade de fazer um tour pelo museu durante à noite. Às quartas e quintas-feiras, é permitida a permanência no local até as 21h45. Dizem que nesse horário a visitação é mais tranquila, porque há menos gente no local. Neste caso, a chamada para deixar o museu começa às 21h30.

roteirospossiveis348COMO CHEGAR

O Musée du Louvre fica no 1º arrondissement (bairro), no centrão de Paris, por isso mesmo o acesso até ele é muito fácil, feito de várias formas. De metrô, a estação mais próxima é Palais-Royal / Musée du Louvre. Pegue as linhas 1 e 7. Se for de ônibus, as opções são as linhas n° 21, 24, 27, 39, 48, 68, 69, 72, 81 e 95. Pode ir também de bicicleta, utilizando o Vélib’. Há estações próximas: n°1015 : 2 place A. Malraux / n°1023 : 165 rue Saint-Honoré / n°1014 : 5 rue de l’Echelle / n°1013 : 186 rue Saint-Honoré. Se for de carro, há um estacionamento subterrâneo, sob o Carrousel Du Louvre, com acesso pela avenue du Général Lemonnier.

COMO ENTRAR

Existem várias entradas para museu. Fuja da entrada central, que é a da Pirâmide de vidro. É por ali que a grande massa chega, se esbarra, se acotovela e forma enormes filas. No verão, elas dão voltas e voltas. Existem outras entradas alternativas que facilitará teu acesso à bilheteria e entrada do museu. Recomendo o Carrousel Du Louvre, um centro comercial que fica no subsolo do museu. A entrada é pelo número 99 Rue de Rivoli. Tem um toldo vermelho sobre a porta. Facinho de encontrar.

Há quatro filas para seguir. Elas são indicadas com placas de cores diferentes. A verde é para quem ainda não tem o ticket. A laranja é para quem já tem o bilhete, inclusive aqueles com o Paris Museum Pass (o que eu usei). O amarelo para quem comprou o ingresso on-line com horário pré-determinado. E o azul para as prioridades (idosos, grávidas, cadeirantes e outras pessoas com deficiências).

Recomendo que compre o Paris Museum Pass, porque além de fazer você furar filas,  possibilita visitar um grande número de museus com um preço bem mais em conta. Há três tipos de passes: de 2, 4 ou 6 dias. Sua escolha vai depender de quanto tempo pensa em ficar em Paris. Com ele você poderá visitar o mesmo museu quantas vezes quiser dentro do prazo estabelecido no cartão.

Menores de 18 anos têm entrada livre, bem como os menores de 26 anos que vivam nos países da União Europeia. Qualquer pessoa pode adentrar gratuitamente no museu no primeiro domingo do mês de outubro a março e no dia 14 de julho. Mas esses dias costumam ser bem cheios. Evite-os!

INGRESSOS

Você pode comprar o ingresso na bilheteria ao custo de € 15,00. Mas a fila, como informei, será bem grande. Comprando pelo site, você terá entrada facilitada. Os valores estão disponíveis neste link. Ingressos a partir de € 17,00. Ou compre o Paris Museum Pass que varia de € 48,00 a € 74,00.

roteirospossiveis347RECOMENDAÇÕES

Faça um lanche antes da visita, já que ela poderá ser demorada. Use sapatos confortáveis, porque caminhará muito. Evite levar muitos pertences, pois ficará mais fácil de se locomover. Sem falar que deverá passar por um detector de metais. Então, cuidado com o que leva em sua bolsa ou mochila.

POR ONDE COMEÇAR

Bem, essa é uma questão que só poderá ser respondida de acordo com seus interesses. Para começar é preciso saber que o museu está dividido em três alas: Sully (frente), Denon (direita), Richelieu (esquerda). Haverá escadas rolantes que levarão a cada uma delas nos diferentes pisos. Aliás, são 5 pavimentos: Hall Napoleônico (abaixo da Pirâmide – onde ficam a bilheteria, os detectores de metais e as escadas rolantes para as três alas); Mezanino, Rez-de-Chaussée, 1º andar e 2º andar. Nesses últimos quatro pavimentos ficam as exposições.

Para entender melhor, pegue o mapa no balcão de informações. E ainda, para facilitar mais sua visita, desde já se familiarize com o espaço entrando no site do museu e vendo os mapas e configurações das exposições por pavimentos e alas. Veja aqui.

No próximo post, vou me dedicar a indicar as obras mais importantes de cada pavimento, destacando aquelas que mais me chamaram atenção. Confira aqui.

E aí, gostou do post? Diga o que você achou deixando seu comentário. Ajude o blog e compartilhe-o pelas redes. Aproveite curta e siga o Roteiros Possíveis pelas redes sociais. É grátis e não dói nada.

Instagram: https://www.instagram.com/roteirospossiveis/
Facebook: https://www.facebook.com/roteirospossiveis/
Twitter: https://twitter.com/blogroteirospos/
Pinterest: https://br.pinterest.com/roteirospossveis/pins/

Imagens: Anderson Corrêa / Reprodução

Anúncios