Como um bom mochileiro, procurei um hostel para passar os dias em Paris. O escolhido foi o St Christopher’s Inn Paris – Canal, depois de fazer aquela vasculhada nas avaliações de hóspedes pela internet e ponderar sobre o custo-benefício, já que Paris é uma cidade com custo de vida bem alto quando comparado a cidades como Madrid, Roma e Lisboa, por exemplo. Só para ter uma noção, esta foi com certeza a diária mais cara que paguei em um hostel: € 39,00 pela diária (no verão). Mas vamos aos pontos positivos e negativos seguindo aqueles tópicos que utilizo aqui: localização, instalações e serviços.

LOCALIZAÇÃO – Bem, neste quesito o hostel não poderá levar nota máxima, porque para um visitante de primeira viagem à Paris, ele ficou distante dos principais pontos de interesse na cidade. Mas isso é irrelevante considerando que o metrô da cidade é bem eficiente, alcançando todos os bairros. Só tinha que caminhar uns 5 minutinhos até as duas estações mais próximas a Crimée ou a  Riquet (Linha 7/Rosa).

O entorno do hostel parece ser muito tranquilo, com pracinhas e o canal por onde passam barcos diariamente. Há comércio próximo e logo na avenida, onde ficam as estações de metrô, você encontrará restaurantes diversos, farmácias, supermercados e outros estabelecimentos comerciais. A avenida é grande e por isso muito movimentada.

StChristophersInn-ParisCanal-Reception.jpgINSTALAÇÕES – O hostel é muito grande. No térreo, fica a recepção do hostel, com algumas dependências como sala de convivência, com mesas, cadeiras e lockers para aqueles que precisam deixar suas bagagens após o check-out (com custo adicional), que deve ser feito até às 10h30. Do outro lado, fica um restaurante/bar Belushi’s, muito animado pela noite. Tão animado que se você chegar nessa hora fica até difícil de entender o que os recepcionistas falam na hora do check-in.

StChristophersInn-ParisCanalBar.jpegEntrando pela direita está o elevador e as escadas, além de uma área de serviço. O elevador funciona com a chave do quarto e a porta da escada também só abre com chave (cartão magnético), o que é um ponto positivo, visando a segurança dos hóspedes, já que o lugar tem um fluxo grande de pessoas por causa do bar. A porta do quarto também so abre com a chave.

Cada andar possui muitos dormitórios, entre os compartilhados e os individuais. Fiquei em um quarto compartilhado bem espaçoso e com uma boa vista para a região. No dormitório existe uma pia, além de uma mesa com cadeiras. As camas são boas, têm cortina para manter um pouco de privacidade. O locker fica abaixo dos beliches. No quarto em que fiquei eram grandes gavetões, onde coube minha bagagem com sobra. Leve seu cadeado.

StChristophersInn-ParisCanal-room.jpgMas há pontos negativos: o primeiro foi a ausência de lâmpada individual na minha cama, apesar de ter remetido o problema ao staff, não houve solução até minha saída do hostel. Mas havia lâmpada nas outras camas. Também não havia tomadas individuais nas camas de baixo. No andar onde fiquei, o banheiro masculino estava interditado. Logo, só havia o banheiro de uso dos cadeirantes para os homens utilizarem. Contudo, os chuveiros funcionavam bem.

StChristophersInn-ParisCanal1.jpgSERVIÇOS – O staff era bom, apesar de não terem arrumado a minha lâmpada. Mesmo o site do hostel indicando que o café da manhã está incluso, tive que pagar um taxa para isso, no Booking. Havia duas máquinas automáticas, uma de bebida e outra de lanches. O wi-fi era problemático, mas havia computadores para uso dos hospedes ao lado da recepção. Só conseguia pegar quando estava no corredor ou nas escadas. Aliás, era nas escadas onde ficavam muitas pessoas sentadas nos degraus com os celulares em punho. O serviço de limpeza também era bom. Havia uma lavanderia para aqueles que desejassem lavar as roupas.

Só lamento ter perdido minha toalha, que tinha colocado para secar nos cabides que ficam disponíveis nos quartos. Mas alguém se confundiu e levou a minha por engano.

E aí, gostou do post? Diga o que você achou deixando seu comentário. Ajude o blog e compartilhe-o pelas redes. Aproveite curta e siga o Roteiros Possíveis pelas redes sociais. É grátis e não dói nada.

Instagram: https://www.instagram.com/roteirospossiveis/
Facebook: https://www.facebook.com/roteirospossiveis/
Twitter: https://twitter.com/blogroteirospos/
Pinterest: https://br.pinterest.com/roteirospossveis/pins/

Imagens: Reprodução da internet

Anúncios