Como pode um emaranhado de ferro cheio de luzes ser tão fascinante? Foi o que me perguntei quando fiquei frente a frente com a Torre Eiffel, em Paris. E olha que eu não dava muita coisa por ela, não. No dia seguinte à minha chegada à cidade, fui direto para o cartão-postal mais visitado da Europa. Tomei o metrô até a estação Trocadéro. Quando saí, já conseguia avistar a torre. E a muvuca era grande. Todas as pessoas querendo chegar mais próximo dela.

Siga o Roteiros Possíveis no Instagram @roteirospossiveis.

De fato, a torre é majestosa. Não é à toa que é considerada um dos símbolos do romantismo; local preferido para um pedido de casamento. Quando cheguei ao terraço do Palais de Chaillot, fiz minha primeira parada para observá-la melhor. Em meio aos vendedores de réplicas da torre, de chaveiros e echarpes, e também das pessoas fazer fotos tentando colocar o monumento na palma da mão, saquei minha câmera e comecei também fotografá-lo. O tempo estava meio nublado e a multidão às vezes atrapalhava, mas consegui fazer o registro.

roteirospossiveis333Depois, desci pela escadaria lateral do terraço e atravessei o Jardins du Trocadéro. Via a torre ficar maior à minha frente. Não sei explicar bem, mas era um misto de ansiedade, de alegria e, talvez, uma pitada de nervosismo em estar naquele local, que até então só tinha visto pelas fotografias. Parei mais adiante para fazer mais fotos. Depois fui parado por um casal que pediu para fazer suas fotos.

Segui caminho e o famoso cartão-postal ficava cada vez mais perto. Atravessei a Pont d’léna, sobre o Rio Sena, e finalmente cheguei ao Champ de Mars. Parecia mentira, mas a Torre Eiffel estava ali na minha frente, imponente, grandiosa. Agora sim, me sentia em Paris. O pescoço doía de tanto olhar para cima. Para quem não sabe, com 324 metros e mais a antena de 24 metros, na época de sua construção, em 1887, a torre foi considerada a estrutura mais alta do mundo.

roteirospossiveis331Mais alta e uma das mais cheias. Meu Deus do céu! Quando baixei a cabeça, a multidão voltou ao foco e vi o quanto seria difícil subir na torre. É gente para tudo quanto é lugar, fila de um lado, fila do outro. Dava até um certo desânimo.  Ah, se for visitar paris no inverno, essas filas serão bem menores. A subida à torre tem vários preços. Dependendo até que piso queira ir e a forma como chegará a eles (de elevador ou pela escada), os valores mudarão.

Quem sobe, tem uma visão panorâmica da cidade. Dá para localizar os principais pontos turísticos da cidade lá de cima. Dizem que o por do sol visto dali é maravilhoso. Ainda voltei à torre durante a noite para vê-la brilhar. A cada hora, uma sinfonia de luzes começa a piscar na estrutura metálica e nos deixa hipnotizados.

roteirospossiveis334Uma dica  é aproveitar os cafés de alguma rua do centro de Paris (que não são poucos), pedir uma cafezinho com croissant e aproveitar a vista da torre. Uma sensação inexplicável.

Confira abaixo os valores dos ingressos para subir a torre. É bom que compre os bilhetes com antecedência no site da torre aqui para garantir seu acesso, porque é concorridíssima, especialmente no verão.

Preço do Ingresso (2017):

  • Bilhetes de Acesso ao Elevador (para o segundo piso): adultos – 16€ / Jovens (12 – 24 anos) – 8€ / Crianças 4 -11 anos e deficientes – 4€. Menores de 4 anos não pagam.
  • Bilhetes de Acesso ao Elevador (para o último piso): adultos – 25€ / Jovens (12 – 24 anos) – 12,50€ / Crianças 4 -11 anos e deficientes – 6,30€
  • Bilhetes de Acesso às escadas (para o segundo piso): adultos – 10€ / Jovens (12 – 24 anos) – 5€ / Crianças 4 -11 anos e deficientes – 2,50€ (Venda desse bilhete somente na bilheteria da torre)
  • Bilhetes de Acesso às escadas (para o segundo piso) e ao elevador (para o último piso): adultos – 19€ / Jovens (12 – 24 anos) – 9,50€ / Crianças 4 -11 anos e deficientes – 4,80€ (Venda desse bilhete somente na bilheteria da torre).

roteirospossiveis335Gostou do post? Diga o que você achou deixando seu comentário. Ajude o blog e compartilhe-o pelas redes. Aproveite curta e siga o Roteiros Possíveis pelas redes sociais. É grátis e não dói nada.

Instagram: https://www.instagram.com/roteirospossiveis/
Facebook: https://www.facebook.com/roteirospossiveis/
Twitter: https://twitter.com/blogroteirospos/

Imagens: Anderson Corrêa

Anúncios