Se você acha que o Bairro Gótico de Barcelona era o mais longe que poderia conhecer da história mais antiga da Espanha, precisa conhecer a cidade de Toledo, a pouco mais de 70 km de Madrid. Dá para conhecer a cidadizinha num bate-volta a partir da capital. Um dia é suficiente para percorrer o centro histórico e visitar as atrações mais famosas. A seguir conto como foi minha viagem até lá, os perrengues pelos quais passei e as surpresas que tive.

O Roteiros Possíveis está no Instagram. Siga o @roteirospossiveis.

Os amigos do hostel e eu programamos a visita à cidade no dia anterior à viagem. Deixamos para comprar os bilhetes do trem na mesmo dia. Mas proponho que faça isso antes, no dia anterior mesmo, para pegar um horário mais cedo e aproveitar melhor o passeio. Saímos do hostel por volta das 9h e caminhamos até a Estação Atocha, de onde partem os trens da Renfe. O dia estava nublado e logo choveria, o que não seria nada bom para nosso passeio. Quando chegamos à estação, só conseguimos vaga para o trem das 11h20. A viagem é muito confortável e rápida.

roteirospossiveis174Chegamos à estação de trem de Toledo (um prédio bem bonito) que fica um pouco afastado do centro da cidade. Foi nessa hora que começou a cair um pé d’água daqueles. A ideia era ir andando até o centro, mas decidimos pegar o ônibus de turismo (vermelho) que faz linha até a principal praça da região. A vantagem é que teríamos o retorno garantido para a estação de trem depois de caminhar por horas pelas ruelas da cidade. Foi o melhor que fizemos. A chuva não cessava e já estávamos muito tristes pelo nosso passeio que iria por água abaixo.

Em um dado momento do trajeto do ônibus, o motora para em um mirante para que possamos apreciar a vista do vale e do rio Tajo (o famoso Tejo de Portugal). Percebemos como a cidade é bonita sobre o morro onde foi fundada. A chuva começada a dar sinais de que iria parar. O percusso do ônibus é rápido, uns 10 minutos. Descemos nas proximidades da Plaza Zocodover. E antes de conhecer a região, todos encharcados, resolvemos almoçar. Entramos em um dos primeiros restaurantes que vimos, para fugir da chuva e nos secar.

roteirospossiveis175Chama-se Entrecalles Cervecería, em frente ao Museo de Ejército. Bem, não era o melhor restaurante da cidade, mas tinha boas opções de refeição completa (primeiro prato, segundo prato, sobremesa e bebida). Escolhemos o menu do dia, porque os atendentes não souberam explicar o motivo de não poderem preparar outra coisa. Só não gostei do gaspacho, pois não me agrada comida gelada. De resto, estava tudo bom. O preço foi bem em conta. Paguei 11 euros pelo almoço. Aproveitei para me secar um pouco. Meus tênis e meias estavam ensopados. “O passeio não seria fácil”, pensei.

Mas para nossa surpresa, logo saiu o sol, apesar do friozinho que fazia ali. E ficamos mais animados. Não vou me alongar detalhando cada espaço que conhecemos, mas vou citar aqui os que mais me chamaram atenção. A cidade é cheia de ruelas que nos levam a uma volta ao passado, onde estão pequenos castelos, belas igrejas, sinagogas e mesquitas. Ficam dentro da cidade murada, que é conhecida como “la ciudad de las tres culturas”, pois já foi povoada por povos cristãos, judeus e muçulmanos. Tudo muito bem preservado.

roteirospossiveis176.JPGVamos aos destaques. A Catedral de Toledo é enorme e linda, pelo menos por fora. Achei melhor não pagar o ingresso para visitar por dentro. Duas amigas que estavam conosco entram e disseram que muito bonita. Mas bem, já tinha visto muitas igrejas em Barcelona. Preferi ver as sinagogas e mesquitas. A Catedral fica na Plaza del Ayuntamiento, onde também estão alguns prédio importantes, como o da prefeitura.

roteirospossiveis177.JPGOutro ponto interessante é a Puerta del Sol, por onde passamos para chegar até a Capela Ermita Cristo de la Luz, uma antiga mesquita. Pagamos 2,50 euros para entrar, mas sinceramente não valeu muito a pena. Continuamos o caminho pelas ruelas e me encantava com as pracinhas e casinhas da cidade, especialmente as do bairro judeu.

roteirospossiveis178.JPGA chuva já não ameaçava e até fazia calor. No centrinho comercial, muitas lojas vendiam espadas e outros elementos de cavalaria, bem como diversos tipos de souvenir. Só fico pensando como um turista leva uma espada grande, pesada e afiada no avião de volta para casa. No mínimo curioso. Mas bem, mesmo que eu quisesse não levaria uma porque são beeeem carinhas. Aproveitei para comprar um par de meias novo.

roteirospossiveis179Quase no fim da tarde paramos para um café no La Flor de la Esquina. Saboreamos sentados na praça onde a cafeteria ficava. O local era bem charmoso. Ainda conseguimos caminhar um pouco mais pela cidade. Conhecemos uma pequena fábrica/loja artesanal de marzipã, doce tradicional da cidade.

Por último, em frente a Plaza Zocodover tem um beco onde está a estátua de Miguel de Cervantes, uma homenagem ao escritor que elegeu Toledo como um dos cenários da história de Dom Quixote de La Mancha. Depois de visitar o escritor, seguimos até o ponto onde pegaríamos o ônibus para a estação de trem, de volta a Madrid.

roteirospossiveis180Queria poder ter aproveitado um pouco mais de Toledo. Talvez até ter dormido uma noite lá para sentir o clima da cidade sob a luz da lua. Mas fica para uma próxima. As poucas horas que passamos ali valeu muito a pena.

E você, já foi a Toledo? Nos conte como foi sua experiência. Abraços!

Foto: Anderson Corrêa

Anúncios