Quando decidimos ir para Ouro Preto, ouvi muito falar das repúblicas. Mas essa definitivamente não era a nossa primeira opção de hospedagem. Queríamos algo um pouquinho mais reservado. Apesar dos quartos compartilhados dos albergues serem sempre uma incógnita, já que não sabemos com quem vamos dividi-lo, pelo menos algumas regras devem ser cumpridas por ali, que talvez, penso eu, nem sempre são cumpridas nas repúblicas, já que há um grau de intimidade bem maior nesses lugares. Buscamos, então, hospedagem em um lugar de fácil acesso e que tivesse uma boa aparência e logo encontramos o Varanda Hostel e Galeria de Arte. Vamos ao review dele.

Já seguiu o @roteirospossiveis no Instagram?

roteirospossiveis117LOCALIZAÇÃO – O Varanda Hostel é um espaço relativamente novo na cidade e que nos proporcionaria um pouco mais de conforto do que outros lugares que vimos pelos sites. E parece que esta foi a opção mais que acertada. O hostel fica a pouco menos de 1 km de vários pontos de interesse, inclusive da rodoviária de onde chegamos e partimos. Localizado no piso superior de um sobrado colonial na Rua São José, o albergue é vizinho do Banco do Brasil e fica próximo a agência do Banco Itaú, da Caixa Econômica e de um correspondente bancário do Banco do Brasil, todos na mesma rua. Alguns passos e você já está lá.

Além disso, a rua é cheia de restaurantes, lojas e casarões coloniais que dão a ela um charme especial ao logradouro. Saindo do Hostel, você consegue chegar aos pontos turísticos mais famosos em menos de 5 minutos. Tudo bem que a cidade não é tão grande, mas tem alguns hostel que pesquisamos que ficam em lugares de difícil acesso, cheio de ladeiras.

roteirospossiveis118INSTALAÇÕES – Como mencionei, o Varanda Hostel é relativamente novo, então não tínhamos do que reclamar de sua infraestrutura. O quarto onde ficamos era para seis pessoas, com duas triliches. O proprietário conservou os antigos armários embutidos da casa, e dentro deles instalou os lockers, com chaves, de tamanho relativamente bom. Couberam minha mala e minha mochila tranquilamente. As camas eram confortáveis e tinham luzes e tomadas individuais. A janela dava para uma pequena floresta e lá no alto do morro que se via estava uma das igrejas coloniais.

Este era o único dormitório cujo banheiro ficava do lado de fora, no corredor. E aí está o problema. Havia umas meninas do quarto ao lado que vez ou outra o usavam e a gente tinha que ficar esperando. Reclamamos com o gerente. O banheiro não era tão espaçoso, mas tinha água quente e era limpo.

O albergue tinha uma área de convivência muito bacana. Com sofás, um balcão e bancos altos, que ficavam próximo às varandas. A decoração era bem cool, com quadros, esculturas e até um grafismo no espaço onde ficavam as mesas do café da manhã. A cozinha era simples, equipada com microondas, fogão e geladeira. Havia um filtro de água.

Talvez uma problema seria a longa escada de entrada. Como o hostel fica no andar superior do casarão, é preciso usar a longa escadaria para acessá-la. Quem estiver com malas grandes poderá ter dificuldades.

roteirospossiveis119SERVIÇOS – Não tenho do que reclamar da limpeza do local. O café da manhã era também muito bom. Pão quentinho, queijo e presunto, leite, café, achocolatado, fruta, suco e bolachas ou biscoitos, como queiram falar. A rede wi-fi também era boa. E o atendimento também foi muito bom. Os donos, uma família, eram muito prestativos e nos deram dicas muito boas, especialmente em relação a onde comer. O hostel não tem bar ou espaços para festas, como se observa na maioria dos albergues pelo mundo. O que é bom para quem gosta de dormir na maior tranquilidade.

PREÇO E RESERVA – Fizemos a reserva pela internet com exato 1 mês de antecedência. Uma cama em quarto compartilhado com 6 camas, saiu por R$ 105,00 (valor de duas diárias + ISS + 10,00 de imposto municipal). Bem em conta levando em consideração que era um feriado. Valeu muito a pena.

Varanda Hostel e Galeria de Arte – Rua São José, 183, Ouro Preto – MG. Telefone: +55 31 3551-1562.

Anúncios