Queríamos muito ter conhecido o maior número de cidades históricas de Minas Gerais, mas nosso tempo era pouco para tanto. Assim, optamos por escolher uma que pudéssemos visitar nas duas noites que teríamos. Então, ficamos com Ouro Preto. Compramos as passagens na noite anterior rodoviária pela Viação Pássaro Verde (R$ 65,00 – ida e volta). Saímos às 15h de BH e chegamos por volta das 17h àquela que foi a segunda capital mineira. Se você conseguir comprar as passagens para o horário da manhã será melhor. Nós não conseguimos. Não lembro se já não tinha acentos ou se pensamos que não conseguiríamos acordar cedo depois da noite de festa.

Já seguiu o @roteirospossiveis no Instagram?

Pois bem. O hostel em que nos hospedaríamos, o Varanda Hostel, era bem perto da rodoviária. O problema era mesmo a ladeira que teríamos que andar até lá. Mas fomos. Saindo da rodoviária viramos à direita e descemos a tal rua íngreme. No caminho ainda paramos para ver a Igreja São Francisco de Paula. Estava fechada, mas ali se tinha uma vista da cidade. Continuamos e logo encontramos o hostel. Depois faço minhas considerações sobre ele. Lá, os proprietários e amigos deles nos indicaram o que poderíamos fazer no fim de tarde.

roteirospossiveis102Deixamos as malas no quarto e logo saímos para desbravar a linda cidade. E aproveitar o restinho de sol que tínhamos. A rua São José, onde estava situado o hostel, já é uma atração a parte. Alguns restaurantes, cafés, agência do Banco do Brasil (nossa vizinha) e o Itaú (no fim da rua), além de lojinhas de souvenir ficam ali. Como as energias tinham sido gastas puxando mala, precisávamos comer. Fomos ao primeiro ponto de interesse que nos foi sugerido: a Chocolateria Ouro Preto. O local é bom. Farei um post sobre ele mais tarde.

roteirospossiveis103Depois seguimos para conhecer o centrinho da cidade. Voltamos o caminho, pela Rua São José, e passamos pela Casa dos Contos. Pelo horário, conseguimos ver só uma exposição no andar térreo. Voltaríamos para ver melhor no dia seguinte, com mais tempo. Seguimos para a rua Conde de Bobadela (Rua Direita), um dos acessos mais movimentados e conhecidos para se chegar à Praça Tiradentes. Esta rua é cheia de lojinhas, cafés charmosos e restaurantes. Ah, se for voltar a Belo Horizonte, não compre doces por ali, são bem mais caros do que no mercado de BH. Mas se tiver de comprar os doces na cidade, sugiro que vá até a Lanchonete Garapinha, na Praça Reinaldo Brito, logo depois da Casa dos Contos.  Os preços são bem mais em conta.

roteirospossiveis104Continuando a subida pela Rua Direita, chegamos já no anoitecer à Praça Tiradentes. Confesso que à noite ela perde um pouco do seu encanto, porque a iluminação não é tão boa. Mas ainda assim, é bonita. Havia muita gente passando, carros e microônibus também, o que dificultava uma boa fotografia no local. Resolvemos entrar no Centro de Cultura Sesi, onde havia uma pequena exposição. Descendo a rua ao lado, muito íngreme e escorregadia, estávamos à procura do Tenente Pimenta Rock Bar, que nos falaram ser animado. Mas a fila para entrar era já era grande. As pessoas estavam aguardando disponibilidade de mesas.

roteirospossiveis105Nossa fome não conseguiria esperar. Achamos melhor jantar e depois voltar. Aí fomos a O Passo Pizzajazz. Parece que o local é um dos restaurantes mais disputados da cidade. O local serve outras variedades de pratos, mas decidimos provar a pizza mesmo. Ficamos no andar superior, onde havia uma varanda muito agradável. Pedimos pizza de carne seca e de margherita especial da casa, mas a primeira me agradou mais. O atendimento foi bom e o preço é justo. Se você chegar um pouco mais tarde, conseguirá mesas mais facilmente. Pode ser que fique aguardando um bom tempo na fila em horários mais concorridos.

Saímos de lá agora decididos a conhecer o Tenente Pimenta e curtir a noite. O local estava bem cheio. A decoração é no estilo pubs irlandeses. Mesinhas para ficar em pé e outras com cadeiras, além de balcões. Há uma diversidade de cervejas e bebidas. O bar também serve hambúrgueres e tantos outros petiscos. A música é essencialmente rock internacional. O clima é agradável e jovial. Recomendo.

A noite acabou com um bom banho no hostel e um descanso para caminhar bastante no dia seguinte, que seria bem puxado. Conto como foi no próximo post. Clique aqui para ler.

Estão gostando? Curtam e comentem!

Anúncios