Antes de mais nada, não se pode beber pelas ruas ou em outros locais públicos de Santiago, como praças e parques. Se você for pego, pode pagar multa ou mesmo ficar detido.

Bem, a noite de Santiago é muito animada. Aqui vou dar duas opções, das que eu curtir por lá. Uma mais tranquila e outra bem mais agitada.

Já seguiu o @roteirospossiveis no Instagram?

A primeira é sentar em um dos bares ao longo da Calle Pío Nono, a mesma que dá acesso a entrada do funicular do Cerro San Cristóbal e ao Shopping Pátio Bellavista. Ali estão alguns dos bares com estilo bem universitário. Há bares para todas as tribos, para quem gosta de rock, para quem prefere músicas regionais, com músicas latinas e ritmos tropicais. Escolhemos no uni, dune, tê e aproveitamos primeiramente o Road House (com uma pegada rock) e depois fomos para um tal de Zona 3, que tinha algumas torcidas de clubes de futebol local.

As bebidas podem variar de um lugar para outro. Assim como tem casas especializadas em cervejas, há outras que possuem variedades de gim, por exemplo. Se preferir, pode fazer um pequeno tour pelos bares e pubs experimentando um pouco de tudo. Ah! Os bares dentro do Patio Bellavista também são ótimos, como preços um pouco mais salgados, mas ficam abertos até as 2 da madrugada.

A segunda opção é para quem prefere mexer o esqueleto. Sim, porque no Chile se escuta muito reggaeton e ritmos do hip hop. Existem muitas discotecas pela cidade, desde as mais baratas, que inclusive dão gratuitamente a bebida para quem chega cedo, e outras mais caras cujas bebidas podem custar até 15.000 pesos chilenos (cerca de R$ 73,00). E a entrada é naquele esquema, ficar na fila um bom tempo e pagar caro por isso.

Eu realmente não lembro a discoteca em que fui, porque foi nesse dia que tomei um porre de Piscola (um coquetel ao estilo cuba libre feito da mistura de Pisco Sour – aguardente tradicional chilena – com refrigerante de cola). A música era boa e contagiante. Ah! Quem nos levou a essa casa foi o pessoal da Escola de Idiomas. Acabamos não pagando a entrada, apenas o que consumimos. Nada mal, não é.

E você, já curtiu alguma balada em Santiago? Qual foi? Conta pra gente!

A imagem destacada é reprodução da internet.

Anúncios