Definitivamente, as praias de Florianópolis são o que há de melhor na cidade. Mas reserve uma tarde para conhecer o centro histórico da Ilha, que guarda algumas surpresas. Depois de sair do Terminal do Centro (TICEN), logo você verá um dos pontos de interesse da região: o camelódromo. O local tem lojinhas que vendem tudo quanto é coisa (a maioria pirateada). Ao lado fica o Mercado Público, do qual já falei aqui no Roteiros Possíveis. (clique aqui para ler)

Já seguiu o @roteirospossiveis no Instagram?

Seguindo, ao lado ou a frente, dependendo do seu ponto de vista, está a antiga Alfândega, que atualmente é um centro de artesanato e onde fica a sede do Iphan. No local é possível comprar artesanatos para levar de lembrança da região. Mas bem, como esse não é meu objetivo em viagens (comprar souvenir), não me demorei muito ali e fui em direção ao Memorial Miramar, construído depois do aterro, e onde antes era o trapiche no qual atracavam os barcos que traziam os peixes para abastecer a cidade.

Mais à frente está a Praça XV de Novembro. É nesse logradouro que está uma grande figueira com mais de cem anos de vida. Existem algumas histórias sobre os motivos que levaram a árvore ser retirada do seu local de origem e replantada ali.

roteirospossiveis41No entorno da praça fica o Palácio Rosado / Museu Cruz e Sousa. O belo casarão foi por muito tempo sede do Governo do Estado, mas desde 1986 tornou-se sede do Museu Histórico de Santa Catarina. Quem faz a visita, pagando uma taxa, consegue ver móveis que eram utilizados pelos administradores do estado. Há também, no salão inferior uma pequena exposição ao mais ilustre escritor/poeta barrigaverde, o simbolista Cruz e Sousa. Ali está uma câmara com seus restos mortais. Na parte de trás do prédio do museu há um belo jardim. Ali a entrada é franca.

Saindo do Palácio, na outra esquina está a Catedral de Florianópolis, em honra a Nossa Senhora do Desterro, que deu nome à cidade antes de ser adotada a atual nomenclatura. A igreja é uma construção simples, mas que guarda em seu interior vitrais muito bonitos e belas imagens.

Para finalizar esse passeio, sugiro seguir pelas ruas Felipe Schmidt e Conselheiro Mafra. Ambas são fechadas para carros. O calçadão é ladeado por lojas de comercio popular. Próximo dali está a Igreja de São Francisco, mas infelizmente estava em reforma quando fui. Aconselhado pela guia turística, é melhor visitar o centro quando não estiver fazendo sol. Caso contrário, vá a praia.

Como bem pode ver, o centro histórico de Florianópolis não é um dos mais atrativos como percebemos em outras cidades históricas do país, mas há o passeio é muito válido para aproveitar o clima agradável da cidade. O passeio pode ser finalizado no Mercado Público ou seguir numa caminhada até a ponte Hercílio Luz, cerca de 1,5 km de distância dali.

Anúncios